Por favor, mantenha seu dispositivo na vertical para navegar neste site.
Loading...
ÍNDICE FECHAR
01
Ponte Estaiada – São Paulo (SP)

A FEBRABAN

  • Intelectual
  • Humano
  • Social e de Relacionamento
Projetos inovadores, diálogo aberto com os vários agentes do mercado e empenho para dotar de transparência as operações bancárias caracterizam a contribuição da Federação para o desenvolvimento sustentável do País

A Febraban

Fundada em 1967, na cidade de São Paulo (SP), onde está sediada, a Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) é uma organização sem fins lucrativos, posicionada como a principal representante do setor bancário nacional: agrega 119 instituições financeiras associadas, que respondem por 97% do patrimônio líquido e 98% dos ativos totais de todo o segmento no Brasil. GRI G4-3 | G4-5 | G4-6 | G4-7 | G4-8 | G4-9

A organização direciona esforços para dotar o sistema bancário de condições e ferramentas necessárias à prestação dos serviços que a sociedade espera dele, com qualidade. Busca manter diálogo aberto com seus stakeholders e se desafia a contribuir para conferir mais transparência aos desempenhos econômico, social e ambiental das instituições bancárias.

Com o suporte de tecnologia de ponta, a FEBRABAN inova em seus projetos e está permanentemente alinhada às melhores práticas para oferecer à sociedade serviços e produtos que incrementem a economia, melhorem a produtividade do setor bancário e a redução dos seus níveis de risco, contribuindo dessa forma para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País. GRI G4-8

Missão, Visão e Valores

GRI G4-56

Missão

Contribuir para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País, representando os seus associados e buscando a melhoria contínua do sistema financeiro e de suas relações com a sociedade.

Visão

Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País.

Valores

  • Promover valores éticos, morais e legais
  • Valorizar as pessoas, o trabalho e o empreendedorismo
  • Incentivar práticas de cidadania e responsabilidade socioambiental
  • Defender a iniciativa privada, o livre mercado e a livre concorrência
  • Defender o diálogo, o respeito e a transparência nas relações com clientes e com a sociedade
  • Atuar com profissionalismo e transparência
  • Valorizar a diversidade e a inclusão social

Objetivos estratégicos

GRI G4-56

  • Representar seus associados perante os poderes constituídos e entidades representativas da sociedade
  • Interagir com autoridades e instituições na elaboração e no aperfeiçoamento do sistema normativo
  • Desenvolver iniciativas para a contínua melhoria da produtividade do sistema e a redução dos níveis de risco
  • Zelar pela eficiência da intermediação financeira e aumentar a sua contribuição para a sociedade, inclusive desenvolvendo esforços que viabilizem o crescente acesso da população a produtos e serviços financeiros
  • Transmitir à sociedade o papel e a contribuição do sistema financeiro para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País

Principais produtos e serviços

GRI G4-4

  • Elaboração de estudos e notas técnicas relativas aos projetos de lei no Congresso Nacional
  • Coordenação de iniciativas judiciais para a defesa do setor
  • Posicionamento nas mídias sobre temas de interesse dos associados e da sociedade
  • Representação dos bancos entre autoridades, entidades nacionais e internacionais
  • Elaboração, divulgação e discussão, com órgãos reguladores, de propostas com vistas à eficiência do sistema e à minimização de seus riscos
  • Divulgação de informações sobre produtos e serviços bancários
  • Coordenação de estudos, pesquisas e iniciativas que visem à melhoria da imagem do setor, do atendimento e das relações com os consumidores
  • Implantação e gestão da autorregulação dos bancos
  • Adoção de ações de responsabilidade social, sustentabilidade e inclusão
  • Capacitação dos associados
  • Realização de eventos de interesse dos associados e da sociedade
  • Negociação do contrato coletivo de trabalho do setor

Modelo de atuação

Demonstrado a seguir, o modelo de atuação da FEBRABAN está orientado pelos princípios que reforçam seu compromisso de prover o sistema bancário de condições e ferramentas necessárias para atender à sociedade com serviços e produtos que incrementem a economia, o ambiente de negócios e o desenvolvimento sustentável.

Modelo de atuação

GRI G4-24 | G4-25

Estrutura

GRI G4-9

A FEBRABAN encerrou 2015 com 111 funcionários CLT, 4 estagiários, 2 aprendizes e 14 profissionais terceirizados, totalizando 131 colaboradores. Sua estrutura contempla dez diretorias, formadas por profissionais que atuam em contato direto com os representantes de bancos e instituições financeiras.

Linhas de atuação

  • Propor e defender mudanças ou edição de normas que aumentem a eficiência do sistema financeiro e o aprimoramento dos seus instrumentos
  • Desenvolver e manter canais de comunicação com o Executivo, Legislativo, Judiciário, associações de classe, órgãos de defesa dos consumidores, sindicatos e demais entidades e organismos nacionais e internacionais
  • Coordenar, quando necessária, a contratação de profissionais para a defesa de legítimos interesses dos associados
  • Realizar e divulgar estudos e pesquisas visando ao aperfeiçoamento do sistema financeiro
  • Comunicar o papel e a atuação do sistema financeiro, de forma proativa;
  • Manifestar-se, quando for o caso, sobre temas de interesse da opinião pública;
  • Desenvolver programas de formação e qualificação para os funcionários de autorregulação

Público interno

Em 2015 a FEBRABAN reforçou a comunicação com seus funcionários graças à criação do Portal RH, que permite acessar dados cadastrais e consultar documentos, demonstrativos de pagamentos, calendário de férias, informe de rendimentos e histórico salarial, entre outros. Também foram aprimorados os processos seletivos, com o objetivo de atrair profissionais tecnicamente capacitados, e avaliadas formas de desenvolvimento profissional mais focadas nas necessidades da entidade, que serão adotadas em 2016.

Todos os funcionários da organização estão cobertos por convenção coletiva de trabalho das categorias correspondentes. Eles têm à disposição um leque de benefícios composto de assistência médica, vale-refeição, previdência privada complementar, seguro de vida, assistência funeral, vale-alimentação e vale-transporte. Confira o perfil do quadro funcional nas tabelas a seguir. GRI G4-11 | G4-LA2

Perfil dos empregados

GRI G4-10

Quadro de funcionários FEBRABAN INFI CED
Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens
Funcionário 61 50 7 5 1 2
Estagiário 3 1 0 0 0 0
Aprendizes 0 2 0 0 0 0
Terceiros 8 6 3 1 0 0
Subtotal 72 59 10 6 1 2
Total 131 16 3


Colaboradores por faixa etária FEBRABAN INFI CED
Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens
18 a 29 anos 23 9 3 1 0 1
30 a 39 anos 20 11 4 1 0 0
40 a 49 anos 16 14 0 1 1 0
50 a 59 anos 3 14 0 2 0 0
Acima de 60 anos 2 5 0 0 0 1
Subtotal 64 53 7 5 1 2
Total 117 12 3


Colaboradores por nível de escolaridade FEBRABAN INFI CED
Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens
Mestrado/Doutorado 2 2 0 1 0 0
Pós-Graduação 18 23 2 1 0 0
Pós-Graduação Incompleto 0 0 0 0 0 0
Superior Completo 27 19 3 2 1 1
Superior Incompleto 9 3 1 0 0 1
Ensino Médio 8 5 1 1 0 0
Ensino Médio Incompleto 0 1 0 0 0 0
Subtotal 64 53 7 5 1 2
Total 117 12 3


Colaboradores por cargo FEBRABAN INFI CED
Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens
Diretoria 1 12 0 1 0 1
Gerência 3 10 0 1 0 0
Coordenação 1 0 0 0 0 0
Técnico 17 16 0 0 1 1
Administrativo 39 12 7 3 0 0
Operacional 0 0 0 0 0 0
Estagiários 3 1 0 0 0 0
Aprendizes 0 2 0 0 0 0
Subtotal 64 53 7 5 1 2
Total 117 12 3


Tempo de casa FEBRABAN INFI CED
Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens
Menos de 1 ano 12 7 1 1 0 1
De 1 a 5 anos 26 21 6 3 1 1
De 6 a 10 anos 15 13 0 1 0 0
De 11 a 15 anos 2 1 0 0 0 0
De 16 a 20 anos 4 4 0 0 0 0
Acima de 20 anos 9 7 0 0 0 0
Subtotal 64 53 7 5 1 2
Total 117 12 3

PORTAL RH

A novidade, lançada em 2015 com o propósito de estreitar a comunicação com os colaboradores, está dotada de uma série de recursos para facilitar o dia a dia profissional, o que também contribui para a retenção de talentos

Em 2015 foram contratados 16 funcionários (11 mulheres e 5 homens). O turnover foi de 14,4%, considerando apenas funcionários CLT. Apenas um profissional usufruiu licença-maternidade/paternidade no ano, tendo permanecido no quadro funcional após o término do direito. GRI G4-LA1 | G4-LA3


Número total de colaboradores admitidos

GRI G4-LA1

Colaboradores admitidos
Faixa etária
FEBRABAN INFI CED
Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens
18 a 29 anos 8 1 0 0 0 1
30 a 39 anos 2 2 1 1 0 0
40 a 49 anos 1 0 0 1 0 0
50 a 59 anos 0 1 0 0 0 0
Acima de 60 anos 0 1 0 0 0 0
Subtotal 11 5 1 2 0 1
Total 16 3 1

Número total de colaboradores desligados

GRI G4-LA1

Colaboradores desligados
Faixa etária
FEBRABAN INFI CED
Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens
18 a 29 anos 4 2 1 3 0 1
30 a 39 anos 2 1 2 2 0 0
40 a 49 anos 1 0 0 0 0 0
50 a 59 anos 1 1 0 0 0 0
Acima de 60 anos 1 3 0 0 0 0
Subtotal 9 7 3 5 0 1
Total 16 8 1

Composição dos grupos responsáveis pela governança corporativa por gênero

GRI G4-LA12

A Federação manteve os mecanismos de análise de desempenho e meritocracia, com base nas metas estabelecidas em seu planejamento estratégico. A avaliação de desempenho é anual e abrange todos os funcionários, sendo que o feedback é informal, quando necessário, e formal no momento da avaliação. O sistema de avaliação de performance foi aperfeiçoado, ampliado e concebido com base no cumprimento das metas definidas no planejamento estratégico da entidade. GRI G4-LA11

Conselho Consultivo

Homens 15
Mulheres 2
17

Conselho Diretor

Homens 17
Mulheres 2
19

Diretoria-Executiva

Homens 14
Mulheres 1
15

Governança

A governança da FEBRABAN agrega Diretorias e Conselhos compostos por representantes dos bancos e de outros setores econômicos que, a partir da liderança do Conselho Diretor, do planejamento integrado e do apoio das diretorias internas e das comissões, orientam as atividades. Veja a seguir a composição desse quadro, de acordo com o perfil de cada grupo de stakeholder e sua atuação correspondente.

Os bancos associados são os principais integrantes do modelo de governança da FEBRABAN. São os representantes desses bancos que compõem o Conselho Diretor e definem a gestão estratégica da entidade. O presidente do Conselho não é diretor-executivo da instituição, mas sim um dos presidentes executivos dos bancos associados. Também eles, em conjunto com outros representantes de segmentos da sociedade, formam o Conselho Consultivo e o Conselho de Autorregulação, responsáveis pela aproximação com setores econômicos e pelo aperfeiçoamento dos processos da Federação. A composição completa dos Conselhos da FEBRABAN está disponível na internet, em www.febraban.org.br, no link Estrutura Geral.

Estrutura de governança

GRI G4-34

Assembleia Geral

  • Representantes das instituições associadas à FEBRABAN.
  • Máxima instância decisória
  • Delibera sobre propostas dos órgãos de administração.

Conselho Diretor

  • Estabelece a orientação geral das atividades da FEBRABAN e sua correta execução.
  • A composição varia entre um número mínimo de 18 e um máximo de 30 integrantes.
  • Todos os integrantes são representantes de instituições associadas.
  • Mandato de três anos.

Conselho Consultivo

  • Manifesta sobre temas por convocação do seu presidente.
  • Formado por 16 conselheiros.
  • Sete conselheiros do sistema bancário público e privado.
  • Nove conselheiros de outros setores produtivos, da sociedade civil e com reconhecido saber em áreas de interesse da entidade.
  • Mandato de 18 meses.

Conselho Fiscal

  • Fiscaliza a gestão administrativa.
  • Acompanha a auditoria interna contratada.
  • Examina as demonstrações financeiras, as cartas e relatório anual de gestão.
  • Formado por três membros efetivos e três suplentes, com mandatos de três anos.

Conselho de Autorregulação

  • De caráter normativo e de administração do Sistema de Autorregulação Bancária.
  • Formado por representantes dos bancos associados e da sociedade civil.
  • Edita normativos e estabelece diretrizes, políticas, regras e procedimentos de autorregulação.
  • Mandato de três anos.
A definição da gestão estratégica da FEBRABAN cabe ao Conselho Diretor, composto por representantes dos Bancos

Diretoria-Executiva

  • Cumpre as deliberações do Conselho Diretor e da Assembleia Geral.
  • É responsável pela administração e gestão das atividades da FEBRABAN.
  • Formada por um presidente e um vice-­presidente executivo, indicados pelo Conselho Diretor, até dois vice-presidentes e até 15 diretores eleitos entre administradores estatutários das Associadas Nível I (consideradas as instituições financeiras bancárias, com atuação no território nacional) e até cinco diretores como representantes das Associadas Nível II (associações representativas, em âmbitos nacional ou regional, de instituições financeiras ou de empresas com atividades congêneres ou complementares à atividade bancária).
  • Mandato de três anos.

Comissões

As Comissões são parte fundamental da estrutura de funcionamento da FEBRABAN. Divididos em Comissões Executivas e Comissões Setoriais, os órgãos ficam a cargo de um diretor setorial (com adjunto) e de um diretor da Federação. É por meio delas que a instituição recebe e encaminha os temas e as soluções que envolvem demandas do setor financeiro nacional. Confira as principais características dessas instâncias:

  • Participação de representantes dos bancos associados com conhecimento abrangente de negócios e operações bancárias.
  • Temas tratados em cada comissão determinam o grau de senioridade dos participantes.
  • Suporte à implementação dos projetos oriundos dos temas estratégicos.
  • Promoção de discussões, elaboração de pesquisas, realização de estudos, análise de alternativas e formulação de propostas de encaminhamentos à Diretoria-Executiva.
  • Participação em discussões com stakeholders, como Banco Central, ministérios, entidades representativas, formadores de opinião, setores econômicos e sindicatos.
  • Definição da formação de subcomissões e/ou grupos de trabalho.
Comissões Executivas e Setoriais
Executivas
Ambiente de crédito
Assuntos jurídicos
Crédito consignado
Eficiência e compartilhamento
Financiamento de veículos
Gestão de riscos
Operações de tesouraria
Prevenção à fraude
Produtos bancários PF
Produtos bancários PJ
Recursos humanos
Segurança bancária
Tecnologia e automação bancária
Tributária

Setoriais
Assuntos contábeis
Assuntos do BNDES
Auditoria interna
Compliance
Correspondentes
Crédito rural
Comunicação
Negócios internacionais
Ouvidorias e relações com clientes
Responsabilidade social e sustentabilidade
SACs


Diretoria de regulação prudencial, riscos e economia

Comissões

  • Ambiente de crédito
  • Assuntos contábeis
  • Auditoria interna
  • Compliance
  • Gestão de riscos
  • Negócios internacionais
Diretoria de relações do trabalho

Comissões

  • Recursos humanos
Diretoria de autorregulação

Comissões

  • Ouvidoria e relações com clientes
  • SACS
Diretoria de imagem e comunicação

Comissões

  • Comunicação
Diretoria de negócios e operações

Comissões

  • Assuntos BNDES
  • Correspondentes
  • Crédito consignado
  • Crédito rural
  • Eficiência e compartilhamento
  • Financiamento de veículos
  • Operações de tesouraria
  • Prevenção à fraude
  • Produtos bancários PF
  • Produtos bancários PJ
  • Segurança bancária
  • Tecnologia e automação bancária
Diretoria jurídica

Comissões

  • Assuntos jurídicos
  • Tributária
Diretoria de relações institucionais

Comissões

  • Responsabilidade social e sustentabilidade

Museu do Ipiranga – São Paulo (SP)


Compromissos

GRI G4-16

A FEBRABAN mantém parcerias e compromissos com entidades de seu setor de atuação ou relacionadas que defendam principalmente pautas comuns, como a educação financeira e o combate e prevenção à lavagem de dinheiro. Dentre elas, destacam-se:

  • Federação Latino-Americana de Bancos (FELABAN): reúne 19 países do continente e mais de 500 bancos e instituições financeiras. A FEBRABAN representa o setor do Brasil, o maior da região.
  • Cadastro Empresa Pró-Ética: iniciativa da Controladoria-Geral da União (CGU) e do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social. A FEBRABAN integra o Comitê Gestor do Cadastro Empresa Pró-Ética, responsável por analisar pedidos de inclusão de empresas no cadastro e deliberar sobre a admissão e discutir e definir atualizações dos requisitos para integrá-lo.
  • Brasil Investimentos e Negócios (BRAiN): trabalha as condições de crescimento baseadas em um mercado de capitais forte, estimulando o financiamento por poupadores e investidores. A Federação soma esforços para tornar o Brasil um polo de investimentos e negócios na América Latina.
  • Conselho Consultivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente: compromisso de aumentar capitais intermediados pelo setor financeiro global para uma economia de baixo carbono.
  • Institute of International Finance (IIF): reúne representantes da indústria financeira, de seguradoras, escritórios de advocacia, consultorias e reguladores, entre outros, de todos os países do mundo.
  • International Banking Federation (IBFed): o Brasil é o único país convidado a participar dessa federação de bancos da Europa, Ásia, África, Oceania, América do Norte e América do Sul.
  • Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro (ENCCLA).
  • Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA).
  • Ciência sem Fronteiras (veja mais no capítulo Responsabilidade socioambiental).
  • Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).
  • Secretaria do Trabalho e Emprego do Governo do Estado de São Paulo.
  • Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
  • Controladoria-Geral da União (CGU).
  • Centro Brasileiro de Apoio à Pequena e Média Empresa (Cebrae).
Educação financeira, combate à lavagem de dinheiro e outros temas pertinentes ao setor bancário são tratados pela FEBRABAN também por meio da participação em entidades e organizações

Planejamento estratégico

GRI G4-14

O planejamento estratégico envolve a definição de temas, projetos, orçamento e metas. Uma vez concluído o planejamento, projetos e metas são continuamente monitorados e reportados em reuniões das Comissões e da Diretoria-Executiva, buscando benefícios para o setor bancário. Confira o fluxo do planejamento estratégico:

  1. Diretoria-Executiva e Conselho Diretor definem temas estratégicos para atuação da FEBRABAN.
  2. Diretores internos e Comissões propõem projetos, orçamento e metas.
  3. Diretoria-Executiva e Conselho Diretor priorizam projetos e aprovam orçamento e metas.
  4. Diretores internos planejam e gerenciam projetos.
  5. Diretoria de Planejamento e Gestão de Projetos monitora a evolução do portfólio de projetos e o cumprimento de metas.

Para 2016, o processo de priorização resultou em seis temas estratégicos para a atuação da FEBRABAN:

  • Agenda institucional e imagem pública
  • Relações trabalhistas
  • Tributação do sistema bancário
  • Melhoria do ambiente de crédito
  • Regulação prudencial
  • Planos econômicos

Outros temas relevantes:

  • Aumento da eficiência e compartilhamento
  • Impacto da revolução digital no negócio bancário
  • Autorregulação
  • Qualidade dos serviços bancários/relacionamento com clientes

PROJETOS E METAS

São monitorados no âmbito do planejamento estratégico, que contempla os temas a serem abordados de acordo com um fluxo contínuo de trabalho. Participam do processo a Diretoria, o Conselho e Comissões

Diálogos com a sociedade

GRI G4-25 | G4-26 | G4-27

A FEBRABAN busca estar próxima de seus públicos de relacionamento por meio de canais de informação e interação, participação e realização de eventos e condução e divulgação de estudos e estatísticas do setor bancário, entre outros.

Em 2015, a entidade desenvolveu um modelo de software para seu novo portal, que ganhou conteúdo mais organizado, navegação mais fluida e intuitiva, além de atualização do design. O objetivo da modernização do portal é aperfeiçoar sua usabilidade e navegabilidade e facilitar o acesso às informações, torná-lo uma fonte de informações e consultas para associados e o mercado (inclusive internacional, já que há versão em inglês) e aproximar a Federação de seus públicos. (Acesse www.febraban.org.br.)

Além disso, promoveu no ano 35 eventos, entre congressos, seminários e palestras, que contribuíram para o fortalecimento de sua imagem e do setor que representa. Foram destaque o 25º Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras (CIAB), o 5º Congresso Internacional de Gestão de Riscos, o 11º Fórum de Saúde e Segurança no Trabalho, o 5º Congresso de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo (PLD), e o Seminário Internacional – Sistema Financeiro Nacional, Economia Verde e Mudanças Climáticas. Nas pesquisas realizadas após os eventos, os participantes os avaliaram como “Ótimo” e “Bom”, tanto do ponto de vista de conteúdo técnico como de organização. Por meio do resultado apurado nas pesquisas, as equipes organizadoras da FEBRABAN estudam e planejam ações de melhoria para as novas edições.

O público dos congressos, seminários e palestras é composto principalmente por representantes das instituições financeiras, reguladores nacionais e internacionais, economistas, acadêmicos, advogados, administradores e profissionais de tecnologia da informação e especialistas em suas áreas de atividades.

O CIAB, o evento mais importante da FEBRABAN no ano, contou com 1,8 mil congressistas, mais de 20 mil visitantes e 250 palestrantes. A edição incluiu novas trilhas técnicas de tecnologia para os segmentos de Meios de Pagamento, Seguros, Bancos Internacionais, de Investimentos, Bancos Comerciais e Mercado de Capitais, além de Segurança da Informação e TI e Telecom. O novo formato do CIAB rendeu mais de 500 inserções positivas da organização em mídias on-line, televisiva e impressa.

Tecnologia

A área de Tecnologia da Informação (TI) da FEBRABAN venceu vários desafios no ano, participando da implementação de projetos como o novo portal de internet da organização, a plataforma de certificação de profissionais, os novos indicadores de economia na base de dados do Setor, a automatização da pesquisa macroeconômica, a reformulação do sistema de eventos, o site CIAB 2015, a central de balanços financeiros, a automatização dos Processos Eletrônicos de Supervisão (PES) da Autorregulação, o controle de presenças nas comissões FEBRABAN e a definição de nova assinatura de e-mail da entidade.

Nessas iniciativas, a área de TI atuou de forma multidisciplinar, apoiando as áreas na especificação de requisitos, definindo arquiteturas dos sistemas, gerenciando/controlando os serviços das fábricas de software e consultorias de contratadas, prestando suporte à homologação das entregas e implantando os sistemas nos ambientes (infraestrutura de servidores).

Consumo de energia


Alinhada ao compromisso com o consumo consciente, a FEBRABAN busca continuamente soluções para redução de energia elétrica em suas próprias dependências. Em 2015, como efeito da melhor utilização dos equipamentos de ar-condicionado e manutenção preventiva do sistema, o consumo foi reduzido em relação ao período anterior, como mostra a imagem ao lado. GRI G4-EN3 | G4-EN6

Consumo de energia (GJ)

GRI G4-EN3